Pular para o conteúdo

Conhece o Mariano Rivera, esportista?

O cara é uma inspiração !

Encerrou aos 44 anos  sua carreira de atleta,  e deixa inspirações bem bacanas para a liderança.

Entusiasmado e com desejo de vencer sempre renovado, a sua marca não era de brilho e conquistas individuais.Tipo  ..eu sou melhor do que os outros. Ele não era assim.

Mas  quantos voce conhece, esportistas ou não,  que pisam em estrelas pensando que assim a sua  própria estrela  conseguiria  brilhar mais?

Rivera agia fazendo parte de algo maior do que ele. O trabalho que ele executava, as decisões que tomava, os obstáculos que superava, não mostram um atleta que para se destacar não se importava com os demais.

Muito pelo contrário.Ele sempre foi TIME.

Deixa a sua marca como líder com paixão e propósito.

Apontado como  profissional com toque de classe e alegre, não se abalava com coisas ruins que aconteciam por vezes. Seguia em frente,  sempre em  time, com o seu time.

Se voce gostar de baseball,  certeza que  Mariano Rivera é uma inspiração

Respeitado por todos e TÃO RESPEITADO pela carreira e liderança que teve em toda vida que foi aplaudido de pé pela torcida rival no estádio rival.

E essa é uma das coisas mais bonitas que o esporte propõe além de  ensinar muito sobre a vida

Voce exerce liderança? E a sua marca, qual será?

Culpa de quem?

O moleque era  peralta demais, sua folha corrida já mostrava 2 expulsões da sala de aulas do prof. Pedro.

O pai foi chamado na escola e saiu da reunião com a incumbência de  passar o menino no médico e pegar uma receita de calmante, pois a inquietude e bagunça passavam dos limites.

Já em casa, o menino sempre se referia às gritarias e castigos aplicados por Pedro.

O pai comprou o medicamento e solicitou ao prof. se poderia dar ao menino perto do horário das aulas.

Tudo acertado entre eles, diariamente o prof. pedia ao menino para trazer da sala dos professores 2 cafezinhos, um para cada um deles e que pegasse um comprimidinho no armário.

E com o passar dos dias houve uma melhora absurda. Não se ouvia mais falar em castigos e nem em gritarias.

Em casa, o pai perguntou  - Filho, como as sua notas estão ótimas! O que está acontecendo?

E o garoto disse - Não sei pai. Mas todos os dias o prof. Pedro me pede que traga 2 cafezinhos, um para mim e outro para ele e um remedinho do armário dele.

Eu coloco cafe nas xícaras e jogo o comprimidinho na xícara dele. E quando entrego, ele bebe tudinho.

Sabe pai? Ele parou de gritar como um doido.

Pergunto:  Você andou culpando alguém ultimamente? ( pergunta boba)

Muitas vezes culpamos o outro, mas é conveniente  que eu repare se não estou causando aquilo  do que reclamo na outra pessoa

Pergunto: Quem deve pagar a conta do remédio?

Foi o pai  que desembolsou, mas será que era mesmo a criança  que precisava do remedio?

Ela, uma esposa dedicada, mãe de um menino de 4 anos.

Ele, um gerente de TI. Ambos desempregados.

Ela grávida, alagada de hormônios, desesperada. “O que será da nossa vida?”.

Ele, com pós-graduação, mas sem oportunidades, novo filho chegando.

Vendem o carro, param de comer fora e cortam as férias. Ela passa a fazer doces e ele sai para entregar de bicicleta.

Hoje são felizes proprietários de 3 lojas e filhos crescendo de vento em popa.

Comemorarão o dia das mães de forma especial.

Que conquista! Foi fácil? Claro que não!

No começo, falavam que não sabiam fazer mais nada na vida além daquelas maravilhosas planilhas econômico-financeiras do trabalho.

Não eram e nunca seriam empreendedores, já que não conseguiam sequer vender um palito de fósforo.

Não tinha o que discutir. Mas estavam errados.

Pare de falar que não sabe e que não é capaz.

Dê uma cacetada naquele orgulho que no momento não serve para nada na sua vida.

Um gerente que agora entrega doces de bicicleta? Qual o problema? Cada ameaça que se concretiza é uma chance de crescer e mudar.

São dificuldades que geram oportunidades.

Abandone a euforia, o pânico, o rancor, a vergonha e faça o que tem que ser feito.

"Fui rejeitado em 30 empregos.Tentei uma vaga na polícia, não me quiseram. Quando o KFC chegou à China, tentei um emprego lá.

Eles entrevistaram 24 pessoas e contrataram 23. Fui o único que ficou de fora. Tentei entrar em Harvard 10 vezes.

Em todas fui rejeitado. Sei ser rejeitado"

Com uma fortuna avaliada em US$ 28,5 bilhões, Jack Ma é criador da Alibaba e o 22º Homem Mais Rico do Mundo.

Rejeição não é o fim do mundo!

Ser rejeitado deve levar você pra frente Rejeição não serve para tolher você

Aprender a lidar com a rejeição só vai ajudar. Saber lidar com a rejeição é um bem que você faz a você mesmo

Sabia que Jack Ma levou 07anos para completar o ensino fundamental ? Na sua cidade natal, Hangzhou, havia apenas um ensino médio com 1 ano de duração.

Outras cidades não o aceitaram como aluno, pela sua educação falha. Ele também tentou entrar em uma universidade chinesa por 03 vezes.

Inscreveu-se em Harvard 10 vezes, sempre foi rejeitado.

Ao final, pensou: “um dia, eu deveria dar aula aí”. E estava certo.

Desde o sucesso do seu comércio eletrônico, já deu várias palestras na renomada universidade.

Viu como é importante saber lidar com a rejeição?

Desempregado, V está preocupado com notícias q. insistem em falar das poucas vagas.

Claro, V tem profissão, se formou dentro dela, trabalha há tempo com isso e até passa pela cabeça q. procurando as mesmas coisas, uma hora vai dar certo. Mas... isso não está acontecendo, não?

Pensa só: pode ser q. V está procurando nos lugares errados.

E o q. está procurando está em escassez/extinção Se mudar de área, trabalharia com que/onde? Se fosse estudar algo novo, o q. seria? Escolhas devem partir de potencial, vontades, tesão, descobertas inusitadas e exercício de olhar mais além.

Centros de tecnologia p/ equipes especializadas em big data, robótica e infra em nuvem , demandas por sistemas de educação diferentes das atuais, desenvolver e regulamentar transações criptografadas, armazenamento de conteúdo digital p/ 500 anos e tanta coisa p/ encontrar fontes de receita, reduzindo despesas e riscos. Isso te dá ideias? Muitos vão achar q. avanços comem empregos, enquanto outros estão estudando e focados em benefícios.

É preciso liberar pessoas p/ trabalhar em coisas de maior valor. Tecnologia está mudando a forma como as empresas funcionam – e quem ficar p/ trás vai morrer.

Então, se V não muda o vento, que tal ajustar as velas desde já?