Pular para o conteúdo

Passei boa parte da vida estudando e tive dezenas de professores: alguns bostinhas, muitos medianos e poucos... wow!

Acho que V também lembra de, pelo menos, um put@ professor na escola ou na facul: vai lembrar que ele desafiou V em grau muito maior que os outros - tipo assim, barra alta, sabe? Na época, o desafio extra parecia injusto e cruel (o Prof. Celso era animal... )

Mas... agora que passou, V percebe que não era cruel: era verdadeira expressão de confiança em sua capacidade de crescer e se fortalecer.

A vida fora da escola também tem seus poucos e grandes professores. Os melhores parecem injustos. Esses professores são: os fracassos, as tristezas e confusões, a solidão... todos beeeeem cruéis e, no entanto:
- de onde vem alguns dos nossos maiores aprendizados?
- como se forma ou se revela nosso verdadeiro caráter? e nossa força de viver?

Um 'fssor fodão - tipo assim, barra alta, sabe? - está trabalhando para ensinar e mostrar e exigir o melhor em V.
Embora seja quase impossível gostar disso na hora que acontece, V vai viver o dia para agradecer a 'barra alta' (Prof. Celso, obrigado, viu?)

Então ó, vale a pena ser um bom aluno: é a oportunidade de crescer e se fortalecer que está em jogo.

Ó, tipo assim, esta vale pra muita coisa - para as coisas que fazem sentido e são vitais: quando estiver fazendo este tipo de coisas (no trabalho ou em casa or wherever), faça isso e nada mais. Na-da mais entendeu?

Excelência, nego, vem do esforço focado, fo-ca-do entendeu? Não vem da tentativa de fazer muitas coisas ao mesmo tempo agora. Sabe aquela turminha que diz conseguir ser multitarefa e eficiente ao mesmo tempo? Mentem... são men-ti-ro-sos entendeu?

E assim, preste atenção e ainda encontrará oportunidades nos detalhes deste tipo de coisas:

Preste atenção e V encontrará beleza nas texturas mais finas

Preste atenção e V encontrará valor nas matizes mais suaves

Preste atenção e V encontrará informação nos menores intervalos

Se não for importante, vital, V vai dar um jeito de não trabalhar focado, fo-ca-do entendeu? Caso contrário, dê toda a sua atenção. To-da entendeu? Quando V dilui, dispersa, dissolve seus esforços, eles ficam fracos.

Pow, em vez disso se concentra, nego. Só assim pra alcançar o melhor, fazer o melhor, executar o melhor e ter o melhor desempenho. Excelência e o esforço focado ( fo-ca-do entendeu?) caminham de mãos dadas.

Ó, põe todo o foco da sua atenção para qualquer coisa vital, seja lá o que for, e, confia nimim, V será excelente.

Culpa de quem?

O moleque era  peralta demais, sua folha corrida já mostrava 2 expulsões da sala de aulas do prof. Pedro.

O pai foi chamado na escola e saiu da reunião com a incumbência de  passar o menino no médico e pegar uma receita de calmante, pois a inquietude e bagunça passavam dos limites.

Já em casa, o menino sempre se referia às gritarias e castigos aplicados por Pedro.

O pai comprou o medicamento e solicitou ao prof. se poderia dar ao menino perto do horário das aulas.

Tudo acertado entre eles, diariamente o prof. pedia ao menino para trazer da sala dos professores 2 cafezinhos, um para cada um deles e que pegasse um comprimidinho no armário.

E com o passar dos dias houve uma melhora absurda. Não se ouvia mais falar em castigos e nem em gritarias.

Em casa, o pai perguntou  - Filho, como as sua notas estão ótimas! O que está acontecendo?

E o garoto disse - Não sei pai. Mas todos os dias o prof. Pedro me pede que traga 2 cafezinhos, um para mim e outro para ele e um remedinho do armário dele.

Eu coloco cafe nas xícaras e jogo o comprimidinho na xícara dele. E quando entrego, ele bebe tudinho.

Sabe pai? Ele parou de gritar como um doido.

Pergunto:  Você andou culpando alguém ultimamente? ( pergunta boba)

Muitas vezes culpamos o outro, mas é conveniente  que eu repare se não estou causando aquilo  do que reclamo na outra pessoa

Pergunto: Quem deve pagar a conta do remédio?

Foi o pai  que desembolsou, mas será que era mesmo a criança  que precisava do remedio?

"O mindset fixo limita as realizações. Enche a mente das pessoas com pensamentos perturbadores, torna desagradável o esforço e leva a estratégias de aprendizado inferiores. Mais do que isso, transforma as outras pessoas em juízes, em vez de aliados. Quer estejamos falando de Darwin quer de universitários, as realizações importantes exigem grande concentração, esforço total e um baú cheio de estratégias. E também aliados para o aprendizado. Isso é o que o mindset de crescimento nos dá, e por isso permite que nossas capacidades se desenvolvam e frutifiquem."

Nesta Centrífuga Clube do Livro Daniel Scott, Frima Steinberg, Rodolfo Araujo e Roni Chittoni conversam sobre a obra da Carol Dweck - #Mindset - e o que aprenderam sobre mentalidades e desenvolvimentos, aprendizados e sucessos e, no final, indicam quem deve ler este livro - assiste e depois dá um feedback pra nós!

A ‘Centrífuga Clube do Livro – Mindset’ também está no formato podcast:

Nessa conversa altamente inspiradora, o CEO da Luft HealhCare José Roberto Corrales conta um pouco sobre sua trajetória profissional e os caminhos que percorreu até chegar ao topo de uma das maiores empresas de logística do país.

Com seu jeito franco e direto, Corrales quebra alguns mitos sobre a dificuldade de acesso a quem está no topo e fala da importância da eterna curiosidade não só na construção de uma carreira sólida mas, também, como propósito de vida. Sem dúvida um dos episódios mais bacanas de se gravar - e de assistir!